O que você procura?

Carregando...

domingo, 21 de junho de 2009

DICAS PARA UM CONGRESSO INFANTIL - COMO FAZER ?

DICAS PARA UM CONGRESSO INFANTIL - COMO FAZER ?

Existem muitos itens que considero importante na preparação de um congresso infantil, e antes de qualquer dica é necessário à cooperação entre a liderança do grupo e principalmente o apoio e ajuda da igreja e do PASTOR local.

Permita-me explanar alguns Itens importantes baseados em minha experiência com este ministério:

1. Objetivos do Congresso

Mais que importante é primordial levantar a questão para nós. QUAL O MOTIVO DESTE CONGRESSO ? Deve-se levantar uma CAMPANHA de oração e intercessão entre a DIRETORIA, pode ser de 15 minutos por dia (ou como queiram que seja) Para que não seja apenas uma "festa". Terá salvação de almas como prioridades (conversão de crianças) dizem de crianças da igreja e até de fora, pois eu aceitei JESUS com 10 anos e eu era filha de PASTOR , mas tive de aceitá-lo. Isto mudou a minha vida. Na verdade estes OBJETIVOS devem ser avaliados por cada integrante da DIRETORIA DO GRUPO e repassado para as crianças para reflexão. como por exemplo: Deus quer operar em nosso congresso, mas não só neste, nos cultos, nas nossas vidas diárias e etc...

2. Recursos para a realização do congresso

Para qualquer realização teremos de contar com recursos financeiros, e para tal é importante que o GRUPO tenha um TESOUREIRO (A) e este controle um "CAIXA" com registro e controle de gastos e receitas, e antecipe os recursos, e solicite junto ao PASTOR da igreja ofertas voluntárias de irmãos, já que o GRUPO INFANTIL não dispõe de membros que trabalham como mocidade e outros. Então é importante levantar o máximo de recursos possíveis para investir no evento.

3.Equipe organizadora

O Grupo Infantil deve pensar em CONGRESSO e deve ser uma EQUIPE motivada, e unânime entre si. É muito necessário o uso e aplicação do TERMO "planejamento" , a equipe deve ainda ser motivada pelo seu PASTOR LOCAL e pela IGREJA, deve correr atrás das coisas e buscar ajuda em vários recursos. Deve ser espiritual e ter visão de águia. Ver lá na frente os resultados e estar envolvida.

4.Data do evento

Uma data adequada para a realização do evento, que facilite aos membros e as crianças para a sua participação, dê preferência às datas futuras, para a devida preparação dos demais itens.


5. Tema

O tema deve ser algo relacionado à vida aplicada das crianças e depois da igreja, são vários os congressos em que prego que o tema é um pouco distante da realidade de vida das crianças, que um EXEMPLO de como interagir com isso? TEMA: Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos. É um tema? Sim, claro que é, mas qual é a aplicação para as crianças ? É fáceis nós adultos entendermos isso, porém deve-se achar um tema sugestivo. Agora um outro exemplo: MATEUS 24-42 Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Agora sim, é um tema sugestivo. Com outros grupos na igreja é possível à sugestão dos membros, já das crianças é um pouco complicado, pois muitos ainda não são alfabetizados. Então a DIRETORIA deve orar a DEUS e trocar idéias entre si de temas sugestivos.


6. Pregador (es)

Outro fator importante, na verdade sempre desejo convidar alguém que PREGUE para as crianças e traga a igreja também uma mensagem com a mesma direção. O que vemos é de fato um pregador ser convidado para crianças e prega para a igreja e as crianças ficam "boiando" por favor, eles esperam o ano todo para esse evento, aí vem alguém e prega para os adultos? Muito cuidado na escolha, deve-se conhecer a pessoa, ou pelo menos ter indicações a respeito dela. E sempre ter o aval do PASTOR LOCAL e consultá-lo antes.

7. Cantor (es)

Cantor é outro item importante, devem-se perceber os "talentos da casa" pois bem ao nosso derredor eles estão presentes. Dê preferência para cantores infantis ou pré-adolescentes, pois já que a festa é da criançada mesmo.

8. Uniformes

Este é o que mais me arrepia, (rsrsr) na verdade deve-se começar a programação com muita antecedência, eu aconselho programar de no mínimo de 03 a 06 meses, pois assim você pode ir programando o PARCELAMENTO do valor com os pais, cobrar a vista pode trazer transtornos para eles, então facilite. Lembrando que com 03 meses de antecedência você pode programar por exemplo: 01 mês para reuniões com os pais, e acordo de preços, cor, tipos e tamanhos e para tirar as medidas e os outros dois meses para a confecção do uniforme e recebimento das duas parcelas.

9. Decoração da igreja

A decoração dependendo da igreja, pode ser feita pelas "TIAS" e os jovens. Com recursos, na compra de BALOES, confecção de materiais de E.V.A. e etc. É muito sugestivo entre as TIAS , pois criatividade é o que não vai faltar. Uns detalhes importantes, cuidados com os balões na igreja, para que se o palestrante for usar algum recurso visual (Retro e cartazes) que não atrapalhem as crianças de vê-los, pois às vezes são colocados no meio da igreja e no fim pode atrapalhar, use as laterais, a entrada e etc...

10Organização da programação em geral.

Enfim, para se ter um bom CONGRESSO deve ser ter uma EQUIPE motivada, e unânime entre si. É muito necessário o uso e aplicação do TERMO "planejamento" por isso se você tem interesse em fazer um congresso, repense nos OBJETIVOS acima citados, e OREM A DEUS e busquem objetivos espirituais como, salvação, mover de DEUS, e principalmente, louvor e gratidão a DEUS.

Estas palavras não foram copiadas de "livros ou edições especializadas" são todas de autoria da Tia Priscila.

EQUIPE TIAPRI.COM

2 comentários:

  1. Adorei as dicas vou usá-las e tenho certeza que será uma benção.

    ResponderExcluir
  2. Ambientes barulhentos agridem o bebê

    Na 22ª. segunda semana de gravidez, a cóclea, órgão que abriga todos os componentes da audição dentro da orelha interna, já está completamente formada. Isso quer dizer que o bebê ouve a mesma coisa que você.

    Estudos já demonstraram que o líquido amniótico pode amplificar alguns tipos de som, como os muito graves. A voz da mãe também é amplificada em cerca de 5 decibéis.

    Um estudo chegou a mostrar que mulheres que trabalhavam oito horas por dia num ambiente de muito barulho (em volumes que exigiam proteção auricular) corriam mais risco de ter bebês com problemas auditivos.

    Além disso, é preciso considerar que um barulho muito forte faz com que o organismo da mãe produza hormônios ligados ao estresse, fazendo o coração acelerar, o que não é bom para a saúde cardíaca do bebê.

    Os bebês, desde o útero materno, ouvem e reconhecem vozes. Sabe-se também que são capazes de sentir emoções da mãe, de se assustar e que após o nascimento terão memórias da vida intra uterina.

    O psiquiatra canadense Thomas Verny explica no livro “Bebês do Amanhã: Arte e Ciência de Ser Pais”, que desde os primeiros meses de gestação, a criança é capaz de identificar certos acontecimentos.

    “Com 4 meses e meio, se você acender uma luz forte na barriga de uma gestante, o bebê vai reagir. Se fizer um barulho alto, ele tenta colocar as mãos nas orelhas. Se colocar açúcar no liquido amniótico, ele vai dobrar a ingestão. Bebês gostam de açúcar! Quando se coloca algo amargo, o bebê para de tomar o líquido e faz cara feia. Eles sentem a diferença entre doce e amargo, reagem à luz, ao toque e ao barulho.”

    Vídeo-game e todos os brinquedos sonoros devem ser avaliados pelo som que emitem. “O sistema auditivo é um órgão sensorial extremamente delicado e passível de lesões se for muito carregado, principalmente em bebês, que têm uma sensibilidade auditiva muito apurada. A célula ciliada do ouvido interno do bebê sofre com o ruído excessivo e esse abuso pode acabar levando à sua destruição”, alerta o otorrinolaringologista Jamal Azzam.

    A indicação é sempre manter os pequenos longe de ambientes muito barulhentos, seja um local fechado ou na rua, onde o som do trânsito também causa incômodo. Se for inevitável fugir desses locais, o ideal é proteger os ouvidos da maneira certa. “Muitos pais usam algodão para tapar o canal auditivo, mas isso não garante a vedação necessária do som. Uma opção é usar fones de ouvido de boa qualidade que preservem a audição”, finaliza Azzam.

    “Há uma região no cérebro chamada “tálamo”. Esta é a parte do cérebro na qual a música é percebida. No tálamo as emoções, sensações e sentimentos são percebidos antes destes estímulos serem submetidos às partes do cérebro responsáveis pela razão. A música, portanto, não depende do sistema nervoso central para ser assimilada imediatamente pelo cérebro. Ela passa pelo aparelho auditivo, pelo tálamo e depois vai ao lobo central.

    A “batida” que substitui o ritmo provoca um estado de emoção que a mente não discerne. Desorganiza a química. As batidas graves da percussão afetam o líquido cerebrospinal.
    O volume (amplificado) das músicas acima de 50 decibéis prejudica a audição e a saúde cerebral”.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário, não deixe de visitar nosso site www.tiapri.com